segunda-feira, 23 de maio de 2011

Papilio


Cores, vibrantes, perfeitas.
Em autismo levas semanas,
Em reclusão dias,
Até desenvolver-te por completo.

No estado inicial
Ganhastes habilidades.
Descobristes a vida!

Te reclusastes logo
Afoita, coagida, amargada...
Então solitária.
Cansada, dormistes.

Nos teus sonhos
Tanto fervor, tanta esperança
Unidas num só ser.
Esbelta, és linda.

Teu inconsciente chama!
Despertate!
No mais lindo amanhecer
Vente aos meus braços!

Te chamei, me ouvistes.
Agora nada te aflinge,
Estás segura.

Me roubastes a alma,
Te dei meu coração.
Não restou nada de mim,
A não ser você.

Voa Papilio!
Segura minha mão,
Cuida de mim,
Me faz feliz.

domingo, 1 de maio de 2011

Leitura

Olá, achei interessante este artigo que li da psicóloga Mariana Matos e resolvi postar aqui. Boa leitura.

[]'s

*****

Romance ideal versus romance real

Desde cedo, quando ainda somos crianças, somos estimulados a imaginar como será nossa vida futura. Teremos uma profissão tal, moraremos num lugar tal, nos casaremos, teremos filhos... Sobre os dois últimos, as meninas, em especial, são convidadas a pensar ainda nas primeiras brincadeiras. Meninas ganham bonecas, que são sentidas como verdadeiras filhas, brincam de ter uma família e um marido. Quando imaginam um marido, ele geralmente é idealizado e tem todas as características de um príncipe encantado de contos de fadas: é extremamente belo, muito gentil, bastante educado e, é claro, apaixonado pela donzela. Embora os meninos também brinquem de ter esposa e filhos, isso não me parece surgir com tanta força nas brincadeiras como com as meninas. Mais tarde um pouco, no entanto, já na pré-adolescência, começam a imaginar a mulher de seus sonhos: muito bela, dona de um corpo escultural e muito atenciosa.

Conforme crescemos, o que antes era brincadeira começa a se tornar realidade. Adultos, começamos a busca por nossas almas gêmeas, desejosos de termos um relacionamento sério com alguém. As características do tão sonhado príncipe encantado ou da princesa se transformam, e formamos uma ideia do par que desejamos ter. Começamos, então, a procurar um amor do jeito que imaginamos. É justamente aí que muitos encontram problemas. Deixe-me explicar por quê.

Quando imaginamos a pessoa que desejamos, estamos criando, em nossa imaginação, alguém que reúne determinadas características que admiramos. Criamos, assim, um “personagem” que não existe senão em nossas mentes. Isso porque este é um alguém ideal, e não uma pessoa de carne e osso, com imperfeições, como qualquer ser humano. Quando perseguimos esse ideal com afinco, acabamos nos decepcionando repetidas vezes, já que o que encontramos em nossa frente é sempre muito diferente do que pensamos.

Creio que esta seja uma dificuldade da qual muitos dos usuários do site sequer se dão conta que lhes acontece. Ela acaba gerando uma sucessão de frustrações sem que as pessoas entendam as razões para o insucesso. O que ocorre muitas vezes é o seguinte: ao procurar uma pessoa para um relacionamento sério, pode-se estabelecer uma série de atributos desejados no outro. Um usuário pode, por exemplo, buscar uma mulher que tenha idade entre 35 e 45 anos, que seja solteira, não fumante, que pratique esportes, tenha curso superior, que tenha altura até 1,70 e que goste de sair para restaurantes e boates. Qualquer um pode, portanto, ser bastante específico em suas preferências. Ao fazer isso, a pessoa está estabelecendo seu ideal de companheiro(a). É preciso, no entanto, ter a consciência disso, e ter a clareza de que uma coisa é o ideal e outra, às vezes bastante diferente, é a pessoa real. É importante ter em mente que, mesmo que o outro tenha exatamente as características buscadas, ele será diferente daquilo que você imaginou. Isso porque você não tem como saber precisamente como é alguém que você nunca viu.

O que fazer, então, quando você for procurar um amor? Em primeiro lugar, tenha cuidado com os seus ideais. É importante pensar se eles são atingíveis, ou seja, se você está imaginando alguém que tenha características que existem na realidade, ou se está em busca do príncipe ou princesa perfeitos dos contos de fadas.

Segundo, creio ser essencial não deixar que as preferências se transformem em uma armadilha que limite demais a busca. Posso, por exemplo, desejar ter um relacionamento sério com um homem com idade entre 35 e 40 anos. Mas será que não posso ter afinidade com aqueles que têm 41, 42, 33, 34? Um homem pode querer conhecer uma loira. Mas será que não há muitas morenas que poderiam ser consideradas por ele mesmo seu verdadeiro amor? Minha sugestão, então, é que as características desejadas no outro sejam sempre repensadas e relativizadas. Se elas não forem absolutamente imprescindíveis, por que não estar aberto a pessoas um pouco diferentes da que você imaginou?

É importante ter clareza de que o romance ideal é ideal exatamente porque ele não existe. Assim sendo, é preciso buscar o romance real, pois esse sim pode existir. O fato de as coisas às vezes saírem muito diferentes do que imaginamos não necessariamente é ruim. Podemos buscar o príncipe e nos apaixonarmos pelo ogro. Podemos nos surpreender ao ver que o ogro no fundo é um príncipe.

Este artigo foi escrito por:
Dra. Mariana Santiago de Matos
Psicóloga

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Corpo e Mente

Outro dia estava meditando, quando em súbito me veio a reflexão a respeito da ligação corpo-mente: "O corpo é apenas o meio que transporta o maior bem existente: a mente. Com ela, consigo despregar-me de quaisquer valores físicos e fluir no mais profundo vago do pensar."

É interessante saber e sentir que o nosso corpo é como um veículo dotado apenas de desejos materiais, enquanto a nossa mente é o tudo do todo, o verdadeiro guia de nossa existência.

Tente por algumas horas meditar, é saudável, ambos corpo e mente agradecerão. Aproveite esta situação para despregar o corpo da mente, então você descobrirá que é muito mais do que apenas matéria orgânica.

[]s

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Tempos Verbais - 1ª Sequência


Presente Perfeito do Argumentativo (-ar)

Eu subjulgo
Tu culpas
Ele(a) condena
Nós afastamos
Vós criticais
Eles(as) festejam

Pretérito Perfeito do Sentido (-ar)

Eu chorei
Tu calaste
Ele(a) se alegrou
Nós voltamos
Vós suspirastes
Eles(as) morgaram

Futuro do Presente do Concluído (-ir)

Eu unirei
Tu virás
Ele(a) partirá
Nós conseguiremos
Vós aplaudireis
Eles(as) sairão

Dias de Chuva


Ah, dias de chuva!
Som das goteiras,
Água correndo,
Trovoadas e frio,
Muito frio.

Quão lindo fica teu rosto
Num dia desses.
Dentro da cabana
À luz da lareira
Aquecida pelo meu corpo,
Só você e eu.

Deitado ao solo
Desnudo meu corpo ao teu,
Transferências de calor
Embaixo das cobertas...

Ah, dias de chuva!
Contemplar a mais perfeita imperfeição,
Fundidos no mais puro sentimento
Com você ao meu lado
É fazer a minha imperfeição
Tornar-se perfeita.

domingo, 10 de abril de 2011

Levados


Socorro...

Sequestrado pelo extraordinário
Fui hipnotizado, arrastado,
Levado ao paraíso dado.

Levei um tombo burocraticamente
Quebrei a cara, perdi um dente,
Levado ao descontente.

Preciso saber como me curar
Que vá pra lá, aturar,
Levado ao similar.

Já evadi essa desgraça toda
De iludir, essa calada,
Levada, coagida.

Azar para mim,
Coração tá tiquim,
Levado ao ruim.

Azar ela dela,
Pois singela ela,
Levada, aguada aquarela.

Ainda sim quero seu bem.
Pena ela, não valorizar quem.
Levada ao ninguém.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Pensamentos

"A burocracia dos termos serve apenas para solidificar algo que não existe. Se é, é. Se não é, não é. Deve-se manter o foco e não deixar que os hipócritas venham a ruir tudo com uma bola de boliche."

(Allan Sousa)

terça-feira, 5 de abril de 2011

Mayara

Morena és tu,
Sorriso sapeca de cachetas rosadas
Mais belo que o alvorecer.
Une a delicadeza das onze horas
Com o polido do mais belo diamante.

Ai se pudera, concomitante!
Das tuas mãos, às rosas
Amanhecer...
Levantar com tuas cantaroladas,
Beijar-te-ei logo... dejà vu.

(Allan Sousa)

domingo, 3 de abril de 2011

Pensamentos

"Não posso obrigar a fazerem o que peço, mas darei opções para que sigam o destino mudando apenas as escolhas."

(Allan Sousa)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Que há com estes homens?


Há dois dias estava sentado e conversando com umas amigas do trabalho. Curiosamente estávamos falando de relacionamentos passados, enquanto eu, com a palavra, narrava a história de uma das minhas ex, a qual enviava a ela uma rosa toda semana.

Uma da minhas amigas começou a chorar. Não sei se por beleza do meu ato ou por remorso de há tempos não receber algo parecido. Estranho, eu achava exagero toda semana enviar uma rosa. Fazia isso de coração, e claro que variava as vezes... chocolates, ursinhos... mais ocasionalmente. Não creio ter pecado em algo que tenha vido a ruir tudo. Lembro-me de sair com cabeça erguida, afinal o remorso da minha ex a fez buscar-me algumas vezes. Lorotas à parte, voltemos ao que importa.

Bem, ela declarou não lembrar o dia que recebeu uma rosa, mas que fazia tempo. Contudo uma conversação, a respeito de coisas que foram deixadas para trás pelos homens, se instaurou no local. Só fiz ouvir e me lamentar:

Homens...
Homens de garra, de palavra, de responsa...
Homens sutis, de agir, de suplir...
Homens de fé, de coragem, de união...
Homens...

Perdidos: insufos, inseguros, incoerentes...
Não pró-ativos, do cativo, do sussurro...
Não ao carecer, do compromisso, do suplício...
Não ao altruísmo, divisão, coerção...
Não à humildade, feminilidade...
Emoção, não!

Que há com estes homens?
Perderam a noção devido à coerção social...
Mas social de quem?
Do seus egos.
Quem responderá por eles?
Seus egos.
Quem atuará por eles?
Seus egos.
Como repará-los?
Eliminando parte dos seus egos.

Confuso...

Elimina-se isto com reeducação. Os conceitos precisam ser restaurados. Para tudo existe uma solução. Só não há para os vagos. E quanto isso acontecer... voltarão a ver o mundo como realmente ele é, cheio...

De garra, de palavra, de responsa...
De sutileza, de agilidade, de súplica...
De fé, de coragem, de união...

Achados: sufos, seguros, coerentes...
Pró-ativos, do cativo, do sussurro...
Carecendo, do compromisso, do suplício...
Altruísmo, divisão, coerção...
Humildade, feminilidade...
Emoção, SIM!

Que vivam as mulheres, mais bela obra de arte produzida.

[]'s

terça-feira, 29 de março de 2011

Palavras


Muitas palavras escritas,
Muitas inadimitidas,
Raras admitidas,
Raras palavras nascidas...
Ah, não ligo!
Se for escrever por escrever,
É melhor ir descoser...
...sinapses!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Mau-l


Eram 14:37h quando me dei conta daquela sensação ruim que subitamente me tomou por inteiro.
Era capaz de tudo.
Então segui.
Mais tarde, coerções provindas de zumbidos, me atiçavam a cometer as mais depravadas e perversas ações possíveis de se imaginar.
Não sabia o que fazer... aquilo era muito forte e a cada passo dado, a cada gesto acionado, a cada palavra espelida, somava e somava....
AAAAAAHHHHHHH ERA UMA TORTURAAAAAA!!!!!
Eu estava lutando contra algo mais forte que eu.
Então me selei.
Meu corpo calou.
Consegui, enfim, domar todo aquele mal que me rondava...
"Rondava"???
Eu estava possuído por mim mesmo.
Como consegui?
Ressonância...

terça-feira, 22 de março de 2011

Pensamentos

"Saber a hora de sacrificar algo não é o mesmo que jogar na loteria... é ter atitude em realação a vida que você quer ter."

(Allan Sousa)

Amo Muito Tudo Isso


Estou apaixonado... é, mais um vez. A cada dia uma nova paixão. Parece loucura... as vezes insano, mas não creio. A beleza deste ser me encanta a cada face dos meus cruzamentos.

Morenas, ruivas, louras, brancas, negras, mulatas, caboclas...
Raça ou cor, indiferente.
A cor dos seus olhos, explêndido.
A suavidade do contorno dos seus lábios, surreal.
A variedade dos seus cabelos, hipnotizador.
O perfume do seu delicado pescoço, indescritível.
O contorno da sua silhueta, quase perfeição.
O tom da sua pele, sedutor.
Suas vestes, formosas.
Suas mãos, macias...

São tantos adjetivos a serem compostos que não há neologismos suficientes para tanta perfeição. A cada dia um novo rosto... uma nova linda face... uma nova mão super macia... um novo lábio para se hipnotizar.

É, você é assim, mulher.

Simplesmente irresistível.

Que diga o 1º homem viver sem você. Este estará assinando, portanto, a sua própria nulidade. Não por caprichos, nem por prazer.... apenas por completar a nossa imperfeição masculina.

Cuidem-se sempre, pois as mais belas obras de arte são vocês.

[]s

quarta-feira, 16 de março de 2011

Não dá!


Estou sufocado pelo silêncio.
Há tantas coisas a serem ditas,
mas não encontro meios para fazê-los.
Nada físico.
Eu quero.
Não posso.
Eu ligo.
Me minto.
Me perco.
Me giro.
A insanidade me rodeia,
mas quem dá o bote está mais sóbrio que o orvalho da manhã.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

PS!

Upgrading it soon.

Lamento a falta de tempo.

[]'s