sexta-feira, 1 de abril de 2011

Que há com estes homens?


Há dois dias estava sentado e conversando com umas amigas do trabalho. Curiosamente estávamos falando de relacionamentos passados, enquanto eu, com a palavra, narrava a história de uma das minhas ex, a qual enviava a ela uma rosa toda semana.

Uma da minhas amigas começou a chorar. Não sei se por beleza do meu ato ou por remorso de há tempos não receber algo parecido. Estranho, eu achava exagero toda semana enviar uma rosa. Fazia isso de coração, e claro que variava as vezes... chocolates, ursinhos... mais ocasionalmente. Não creio ter pecado em algo que tenha vido a ruir tudo. Lembro-me de sair com cabeça erguida, afinal o remorso da minha ex a fez buscar-me algumas vezes. Lorotas à parte, voltemos ao que importa.

Bem, ela declarou não lembrar o dia que recebeu uma rosa, mas que fazia tempo. Contudo uma conversação, a respeito de coisas que foram deixadas para trás pelos homens, se instaurou no local. Só fiz ouvir e me lamentar:

Homens...
Homens de garra, de palavra, de responsa...
Homens sutis, de agir, de suplir...
Homens de fé, de coragem, de união...
Homens...

Perdidos: insufos, inseguros, incoerentes...
Não pró-ativos, do cativo, do sussurro...
Não ao carecer, do compromisso, do suplício...
Não ao altruísmo, divisão, coerção...
Não à humildade, feminilidade...
Emoção, não!

Que há com estes homens?
Perderam a noção devido à coerção social...
Mas social de quem?
Do seus egos.
Quem responderá por eles?
Seus egos.
Quem atuará por eles?
Seus egos.
Como repará-los?
Eliminando parte dos seus egos.

Confuso...

Elimina-se isto com reeducação. Os conceitos precisam ser restaurados. Para tudo existe uma solução. Só não há para os vagos. E quanto isso acontecer... voltarão a ver o mundo como realmente ele é, cheio...

De garra, de palavra, de responsa...
De sutileza, de agilidade, de súplica...
De fé, de coragem, de união...

Achados: sufos, seguros, coerentes...
Pró-ativos, do cativo, do sussurro...
Carecendo, do compromisso, do suplício...
Altruísmo, divisão, coerção...
Humildade, feminilidade...
Emoção, SIM!

Que vivam as mulheres, mais bela obra de arte produzida.

[]'s

terça-feira, 29 de março de 2011

Palavras


Muitas palavras escritas,
Muitas inadimitidas,
Raras admitidas,
Raras palavras nascidas...
Ah, não ligo!
Se for escrever por escrever,
É melhor ir descoser...
...sinapses!