quinta-feira, 26 de julho de 2012

Sem querer...




Sem querer descobri várias coisas sobre você. Coisas que me intrigam na parte mais profunda do meu inconsciente, fazendo rebuliço nas idéias que por lá estavam mofadas quando ainda me sentia vivo. Coisas as quais havia perdido o consenso, o desejo... aquela vontade de fazer acontecer, independente dos desafios surgidos. Pode ser Napoleão, Mao Tse Tung e por quê não Hittler? Que venham os opositários! Os receberei com a espada e escudo da minha mente... ela agora vive, Sami!

Vive para dizer-te que as coisas precisam ser ditas, vividas e mil vezes escritas, mesmo que seja preciso tragar a tinta densa e volátil escorrendo das mãos calejadas em tanto redigir, pois é dessa forma que se constrói os nossos organogramas.

Vive para afirmar-te que devemos ter sonhos sim, mesmo que concomitante às hipocresias humanas. É isso que nos move, a vontade de querer fazer algo, nesse mar negro de pessimistas e ilusionistas. Afinal, ser um peixe dourado nesse mar é o diferencial que nos torna únicos!

Vive para acrescentar ao teu coração, as mais sinceras idéias da imperfeição e fraqueza humana. Nós erramos, caímos e nos reerguemos... e caímos e nos reerguemos. É você a base que sustenta esse caos para manter o equilíbrio entre o que é bom e ruim. É só você que alimentará e fortalecerá o seu lindo ímpeto vermelho que pulsa a cada segundo para dizer-te o quanto és importante.

Vive para alertar-te que deves sim ter medo, medo de deixar a fraqueza encarnar em ti, fazendo com que inúmeros seres também caiam por sentir falta daquela base essencial em suas vidas.

Vive para conscientizar-te que não é teu passado que construirá teu futuro, mas sim teu presente, pois como sabemos, todos nós conhecemos a nossa própria história... você é apenas um instrumento que aplicará esse conteúdo.

Vive para apenas pedir-te: faça valer cada segundo de sua vida, a tornando qualquer coisa incontrolável, como a tempestade dos seus pensamentos em silêncio... para deixar a sua alma fugir aos lugares que ainda tem luz, conquanto permite ao corpo vibrar-se na imensidão do que não há, pois no mais pronto, voltarás a ter recordações dos cenários inconstantes da imaginação com o teu humilde pedido atendido.

Te aguardo nos meus sonhos!

[]'s